terça-feira, 17 de julho de 2012

ES: Mais de 2.400 imóveis foram devolvidos por falta de pagamento de prestações



Do sonho da compra da casa própria ao pesadelo de ter que se desfazer do imóvel em menos de seis meses. Essa é a realidade de 2.460 consumidores que tiveram que devolver o imóvel comprado no último semestre de 2011 por não conseguir quitar as prestações. 

Na estimava do mercado, 10% das 24.606 unidades adquiridas de junho a novembro de 2011 no Estado foram devolvidas por clientes que não conseguiram pagar as prestações. Ou seja, na média, 400 imóveis por mês retornaram à cartela de vendas depois de serem vendidos. 

O presidente da Lorenge S.A., José Élcio Lorezon, conta que o índice de imóveis devolvidos tem aumentado. Ele relaciona esse comportamento do mercado ao acesso da nova classe médio ao crédito imobiliário.

“A classe C ascendeu, mas tem um orçamento doméstico sensível a qualquer eventualidade. É um consumidor que não está habituado a fazer planejamento de longo prazo e até mesmo o conserto de umcarro pode desequilibrar as finanças”, avalia.

O diretor do Sindicato da Indústria Imobiliária do Espírito Santo, Pedro Zamborlini, diz que não é só nessa fase de obras que acontecem as quebras de contrato. 

“O comprador, às vezes, fecha negócio na empolgação, considerando apenas o valor reduzido das mensais durante as obras. E quando o imóvel fica pronto se depara com os custos do financiamento somado à taxa de condomínio. É aí que muitos não conseguem quitar as prestações”, afirma.

O diretor da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Estado (Ademi-ES), Francis Rocha, ressalta que a quebra de contrato é prejudicial tanto para a empresa quanto para o consumidor e defende a mudança de cultura.

“Assim como o mercado imobiliário se adequou, criando produtos e oportunidades de compra para a classe C, o consumidor deve incorporar a sua vida, que é fundamental para dar sequência ao sonho da casa própria”, pontua.
Falta de planejamento compromete sonho
Mercado
- De junho a novembro de 2011, foram adquiridas no mercado imobiliário capixaba 24.606 unidades.
- Desse total, 10% dos imóveis foram devolvidos por consumidores por consumidores que não conseguiram pagar as prestações. 
- Na média, 400 imóveis por mês retornaram à cartela de vendas depois de serem vendidos. 

Justificativa
- Nos últimos anos, o índice de imóveis devolvidos tem aumentado. Especialistas em mercado imobiliário apontam que esse quadro se intensificou ao passo que o governo federal ampliou a oferta de crédito imobiliário, com juros menores e prazos maiores.

Precauções 
- Para evitar o endividamento e a devolução do imóvel adquirido, o consumidor deve tomar algumas precauções.
- É importante fazer uma leitura atenta do contrato, observando todos os detalhes e, por exemplo, qual será a forma de correção da prestação. 
- Enquanto estiver pagando o imóvel no período de obras, é importante fazer uma reserva de para dar o valor das chaves. 
- Além disso, é importante calcular os gastos futuros com a taxa condominial e verificar se ele não vai extrapolar o orçamento se somando à prestação do financiamento depois do imóvel pronto.

Fonte: A Tribuna

Nenhum comentário:

Postar um comentário