terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Juros do cartão de crédito no Brasil são os mais altos entre as principais economias da América Latina

Enquanto no Brasil a taxa anual média do rotativo é de 237,9%, os argentinos, segundos no ranking dos juros mais altos, pagam 'só' 50%

Por Elisa Campos 
 
 
Não é segredo para ninguém que os brasileiros pagam uma das taxas de juros mais caras do mundo. O que talvez possa surpreender é a diferença entre o que pagamos no Brasil e no resto do mundo, especialmente em comparação a nossos vizinhos latino-americanos. A Proteste, entidade de defesa do consumidor, comparou a taxa média nacional do rotativo do cartão de crédito (juros cobrados sobre o valor que não foi pago da fatura) com aquelas cobradas nas operações com cartões em outros seis países do continente: Argentina, Chile, Colômbia, Peru, Venezuela e México. Resultado: mesmo que a taxa brasileira fosse a metade do que a praticada atualmente pelo mercado, ela ainda seria maior do que o dobro do segundo colocado entre os pesquisados. 

A pesquisa mostra que a taxa anual média do rotativo é de 237,9% no Brasil, enquanto os argentinos, segundos no ranking dos juros mais altos, pagam 50% (veja tabela abaixo). Na sequência, aparecem Chile (40,7%) e Peru (40%).

A taxa de 237,9% é, de fato, extremamente alta. Uma dívida de R$ 1 mil, por exemplo, ao final de um ano passa a ser de R$ 3.379. Se compararmos a taxa básica de juros e a inflação da economia destes países, não há motivo aparente para o Brasil liderar com tanta dianteira o levantamento. No Brasil, a Selic está em 11% ao ano. Na Argentina, ela é ainda maior, de 12,5%. O Brasil tampouco tem uma inflação muito mais alta do que os demais países. Enquanto o IPCA de 2011 deve fechar em 6,5%, o aumento de preços será de 9,7% na Argentina e de 28% na Venezuela.

Mesmo com juros proibitivos, o financiamento pelo cartão de crédito tem crescido no Brasil. Segundo a Proteste, o segmento registrou alta de 22% em 2011. Não sem conseqüência para o bolso do consumidor, infelizmente. Dos inadimplentes no país, 64,1% têm dívidas no cartão de crédito, segundo pesquisa divulgada no final de dezembro pela administradora do SCPC. É uma má escolha. Se é para dever, o empréstimo pessoal, com juros significativamente menores, de quase 70%, é uma opção bem melhor.

As taxas de juros na América Latina
País Taxa básica de juros Inflação Taxa do cartão de crédito
Brasil 11% 6,5% 237,9%
Argentina 12,5% 9,7% 50%
Chile 5,3% 3,7% 40,7%
Peru 4,3% 3% 40%
México 4,5% 3,2% 36,2%
Chile 5,3% 3,7% 40,7%
Venezuela 24% 28% 29%
Colômbia 4,8% 4% 28,5%
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário