segunda-feira, 25 de julho de 2011

Um pouco sobre Gunnar Myrdal

Bom que tal usarmos essa segunda-feira para falarmos de algo mais interessante do que a morte “surpresa” da cantora Amy Winehouse. Após pensar resolvi escrever uma postagem sobre Myrdal, um economista de grande importância, mas tão pouco estudado e difundido das universidades brasileiras.

Myrdal foi um economista, sociólogo, político sueco e foi Ministro do Comércio da Suécia.  Nasceu no ano de 1898 e veio a falecer em 1987. Especializado em estudos sobre populações marginalizadas e países subdesenvolvidos, recebeu, juntamente com Frederick August Von Hayek,o prêmio Nobel da Economia em 1974.


Myrdal está entre os principais representantes da escola econômica do equilíbrio monetário, que vê nas taxas de juros o fator cujas as variações podem assegurar a igualdade da poupança e do investimento, criando em conseqüência uma situação de equilíbrio.

Em sua obra Monetary Equilibrium (Equilíbrio Monetário), 1931, desenvolveu a análise das antecipações e introduziu os conceitos de ex-ante e expost, para distinguir, na análise de um processo econômico delimitado no tempo, as ações projetadas no início do período (ex-ante) e aquelas adotadas no fim do período (ex-post). Ao inserir a noção de tempo no centro do equilíbrio monetário. Myrdal obtém um conceito financeiro, o de rendimento do capital real. Para ele, existirá equilíbrio monetário quando o conjunto dos lucros das diversas empresas provocar, durante um período, um montante de investimento que absorva o capital disponível.

Esse conceito compreende não apenas a poupança, mas também o acréscimo de valor do capital durante o período ( ou de sua redução, em caso de perda) pelas previsões exatas ou errôneas dos empresários. A partir desse raciocínio, Myrdal chega a uma definição dinâmica da igualdade keynesiana entre poupança e investimento.

Para ele, essa igualdade é temporalmente realizada,isto é, ocorre entre um momento ex-ante e um momento ex-post. Se, no início, a poupança é inferior ao investimento, ela aumentará no curso do período pelos lucros obtidos, se bem que ex-post, “o montante do  investimento absorverá o capital disponível”.E, inversamente, se a poupança for superior ao investimento ex-ante, ela deverá reduzir-se ao final.

Sobre o estudo de Mydal das economias subdesenvolvidas o autor criou a teoria da causação circular, segundo o qual o círculo vicioso do atraso e da pobreza pode ser rompido pela aplicação planejada de reformas econômicas.

Frederico Matias Bacic

Nenhum comentário:

Postar um comentário