quinta-feira, 23 de junho de 2011

Estratégias de Internacionalização do Banco Santander


O grupo Santander é hoje o principal grupo financeiro na Espanha e América Latina, tem grande influência sobre os negócios na Europa, destacando-se na Inglaterra e Portugal, onde é o quarto maior grupo financeiro. Sua história começa em 15 de maio de 1857, na cidade de Santander, localizada, ao norte da Espanha, nasce o Banco Santander. Durante a década de 1950 o Banco começou a se expandir internacionalmente. Em 1999 o Santander se fundiu como o Banco Central Hispanoameriano, causando forte impacto no cenário financeiro mundial.

            No ano de 1982, foi instalado o primeiro escritório de representação do Santander no Brasil e, nove anos depois, começaram as operações do Santander Investment. O grande marco de crescimento de negócios no Brasil se deu em 1997 com a aquisição do Banco Geral do Comércio S.A.. Nos anos que se passaram, foram mais três aquisições, que fizeram o Grupo Santander ganhar posição entre os maiores grupos financeiros do setor no país. Em 1998, foi comprado o Banco Noroeste S.A.. Em janeiro de 2000, foi anunciada a aquisição do Conglomerado Financeiro Meridional - formado pelos bancos Meridional e Bozano, Simonsen. E, em novembro do mesmo ano, o Santander comprou o controle do Banco do Estado de São Paulo  (BANESPA).


            Nos dias atuais o Santander se consolidou, no Brasil, como o terceiro maior banco privado por volumes de ativos e o primeiro entre os bancos internacionais. Até o começo do ano de 2007 o banco tinha mais de 7 milhões de cliente no país, 1880 pontos de vende e 7269 caixas eletrônicos.

            Atualmente o Santander é o 9º maior banco do mundo, possui mais de US$ 1040 bilhões em ativos totais, US$ 606 bilhões em operações de crédito, US$ 902 bilhões em recursos geridos, isto é, depósitos e fundos de investimento. Possui mais de 66 milhões de clientes pelo planeta, 10439 agências espalhadas em 40 países. É o principal grupo financeiro da Espanha e da América Latina e desenvolve uma importante atividade de negócios na Europa, região em que alcançou uma presença destacada no Reino Unido, por meio do Abbey National, assim como em Portugal. É líder em financiamento ao consumo na Europa, por meio do Santander Consumer, com presença na Alemanha, Itália, Espanha e outros nove países europeus. Em 2006, registrou lucro líquido de 7,59 bilhões de euros, 22% a mais do que o ano anterior.

SOBRE A ESTRATÉGIA DA EMPRESA E RESULTADOS


O Banco Santander passou, em apenas 20 anos, de uma presença local, apenas na Espanha, para se converter em umas das dez maiores instituições financeiras no mundo. O Santander tem uma presença muito significativa na península ibérica e na América Latina, uma presença significativa na Europa e menos expressiva nos Estados Unidos e Ásia. Somando todos os mercados citados o Santander possui 15% do território mundial. A aquisição do banco ABM Amro, juntamente com o RBS  e Banco Fortis, foi um passo importante para continuar seu processo de internacionalização.

O Banco é conhecido por ser uma instituição ágil quando chega o momento de tomar decisões, o que é muito importante no setor bancário e de não se importar com o preço a ser pago na hora de adquirir outra instituição, isso lhe proporcionou boas oportunidades e um crescimento rápido.. O segmento bancário espanhol é muito eficiente, tem uma boa regulamentação e é dinâmico, nesse cenário de muita concorrência o Santander conseguiu se destacar, vencer os obstáculos, tornando-o mais forte e experiente para começar o processo de internacionalização, sendo ele hoje uma das empresas mais competitivas do mundo.

Um dos novos focos do Banco Santander são os Estados Unidos e a Ásia, regiões onde possui atuação baixa e por que oferecem grandes oportunidades. Um banco que quer se manter como um dos 10 maiores do mundo tem de conquistar mais regiões e expandir sua presença no globo de 15 %, para 50% ou mais das regiões do mundo e estar presente em todos os continentes.


            CONCLUSÃO SOBRE AS EMPRESAS E SUAS ESTRATÉGIAS

            A análise que podemos fazer da Petrobrás é a de que ela é uma empresa internacionalizada que possui várias operações no exterior das quais ela aufere boas receitas. A empresa tem por estratégia expandir essa participação, porém, no seu ramo, aonde vários mercados vivem em monopólios naturais, a expansão é um pouco complicada pois se trata de uma empresa que extrai recursos naturais essenciais para uma nação, logo suas participações no exterior se limitam à prestação de serviços, que é o que a empresa faz, ela presta o serviço de extração do petróleo e refino em alguns casos. Por tal motivo, os principais investimentos dessa empresa sempre se voltarão à sua atividade operacional principal : a extração, refino e venda de petróleo e gás natural nas reservas brasileiras. E com as recentes descobertas das reservas pré-sal, a empresa já afirmou que vai direcionar mais ainda seu investimentos para suas operações nacionais. 

Portanto, pela sua peculiaridade, tanto como empresa, tanto como no seu mercado de atuação, as estratégias de internacionalização da Petrobrás são limitadas, mas nem por isso, deixam de ser lucrativas e essenciais para a competitividade da empresa, sempre lembrando, que por mais relevante internacionalmente que ela possa ser, sua força e competitividade sempre virão de suas operações nacionais. A empresa se internacionaliza levando toda a sua infra-estrutura até o mercado aonde vai atuar, ela é dona de toda sua produção não terceirizando nada de essencial, à não ser estruturas menores sem nenhum grau tecnológico, mas toda sua operação essencial como extração e refino é e sua maioria feita pela empresa pois é nisso que está seu diferencial competitivo e por isso ela não o compartilha com ninguém.

            Com relação ao Grupo Santander pode-se fazer outra análise, muito mais positiva em relação à estratégia de internacionalização. O grupo financeiro demonstrou nos últimos 20 anos que sua estratégia de expansão das suas atividades, além do mercado espanhol, trouxeram excelentes resultados e que sua estratégia agressiva de aquisições de bancos menores, para a posterior imersão nos seus respectivos mercados, trouxe ótimos resultados à empresa, possibilitando ao grupo expandir suas operações pelo mundo todo, aos poucos agregando mercados e clientes e dessa forma tornando-se uma empresa extremamente internacionalizada. Tal estratégia se demonstrou bastante positiva e foi essencial para tornar do grupo um dos maiores do mundo e isso, é claro, foi resultado não só de suas estratégias, mas das características do seu mercado de atuação, o mercado financeiro é por essência, um mercado global e uma instituição financeira que gera receitas basicamente pela prestação de serviços e aquisição de novos clientes, novas contas correntes, etc., precisa se internacionalizar para expandir e auferir maiores lucros. Esse tipo de empresa só cresce se expandir seu mercado de atuação e seu numero de clientes e para isso ela precisa fazer exatamente o que o grupo fez: expandir suas operações, agregar novos clientes por meio de aquisições de bancos e internacionalizar suas atividades. A estratégia de internacionalização do grupo se baseia na aquisição de outras empresas agregando valor e conhecimentos, alem de clientes e mercados, o diferencial competitivo do grupo são seus ativos intangíveis, a marca e a experiência no mercado financeiro que ela possui e também os que ela agrega ao adquirir novas empresas.

Um comentário: