sexta-feira, 17 de junho de 2011

Arrecadação federal deve ter alta real de 10% no ano, diz Barreto

É a cada ano a arrecadação cresce, bate recordes e não vemos os retornos? Onde vai parar esse dinheiro?
Valor Econômico
O secretário da Receita Federal, Carlos Alberto Barreto, disse hoje que a arrecadação de tributos e impostos deve ter crescimento real em torno de 10%, em 2011.
Segundo ele, tudo indica que “daqui pra frente, deve estabilizar” ao redor da variação acumulada entre janeiro de maio, que marcou alta real de 10,69% sobre a arrecadação de período igual de 2010.
Para Barreto, a partir de maio a arrecadação indica o que pode ser tendência no ano, com dpequenas variações. Até abril, a Receita Federal registrou recordes no recolhimento de impostos, influenciados pelos fortes lucros das companhias ano passado, quando a economia cresceu 7,5%.


Em maio, a arrecadação ficou em R$ 71,534 bilhões, acumulando R$ 388,08 bilhões nos primeiro cinco meses do ano, em valor corrigido pelo IPCA. Os valores são recordes para os intervalos.
Indicadores de lucratividade, o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) teve aumento real de 17,12% (R$ 48,48 bilhões), de janeiro a maio sobre época igual do ano passado. E a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) subiu 10,94% (R$ 24,4 bilhões) na mesma comparação.
Destaque também para a alta real de 15,36% na Cide-combustíveis, por aumento de 13,1% no volume de vendas da gasolina e de 4,6% no diesel, entre dezembro de 2010 a abril de 2011, sobre período igual anterior (o recolhimento do imposto ocorre no mês seguinte ao fato gerador), informou hoje a Receita Federal. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário