quarta-feira, 16 de março de 2011

Os motivos relacionados à demanda por moeda em Keynes.





De acordo com a teoria da preferência pela liquidez, de Keynes, a moeda é uma forma que passa segurança para os agentes para que consigam enfrentar o futuro, quanto este é incerto.



A taxa de juros é um fator responsável pelo nível da preferência pela liquidez em uma economia. De acordo com Keynes a taxa de juros é um “prêmio” por abrir mão da riqueza em forma monetária, é a recompensa por não entesourar “a taxa de juros é o que se ganha não porque se poupa, mas porque se aplica esta poupança em outros ativos que não a moeda”[1].



A preferência pela liquidez determina a quantidade de moeda que o público deseja reter de acordo com o valor da taxa de juros: “Isto implica que, se a taxa de juros fosse menor, isto é se a recompensa da renúncia à liquidez se reduzisse, o montante agregado de moeda que o público desejaria conservar excederia a oferta disponível e que, se a taxa de juros se elevasse, haveria um excedente de moeda que ninguém estaria disposto a reter”[2]. Existem quatro motivos que levam a um agente a demandar moeda. São eles:

 
1) Motivo transação: esse esta ligado as despesas, como alugueis, contas etc... São gastos rotineiros, que tem grande previsibilidade são planejados sem maiores riscos.



2) Motivo Precaução: quando o agente retêm alguma quantidade de moeda afim de se prevenir de algum gasto inesperado, como por exemplo uma multa, um gasto com medicamentos de uma doença inesperada.

3) Motivo Especulação: está relacionado na incerteza sobre a taxa de juros futura. Por exemplo, agentes que agem de modo a tentar influenciar na taxa de remuneração, fato que é muito comum no mercado de capitais onde as pessoas tentam baixar o preço de uma ação em quanto um outro grupo faz o inverso, tentar valorizar suas ações.

4) Motivo Financeiro: referisse a um gasto menos rotineiro, porém planejado, como por exemplo, a compra de bens de capital em uma indústria.

 
Esses motivos que acabamos de ver ao longo do texto são motivos que estão ligados à incerteza, quando as expectativas sobre o futuro não são as melhores a retenção de moeda é a forma que passa mais segurança para o agente, mesmo que ela não gere nenhum tipo de rendimento para seu possuidor. Quando as expectativas sobre o futuro são boas a preferência pela liquidez diminui junto com a incerteza.
 
Assim a retenção de riqueza em forma monetária, não é um ato irracional, pois é planejado pelo agente quando existe alguma expectativa ruim sobre o futuro, atitude que gera maior segurança ao agente, ele opta por não receber rendimentos para garantir a segurança.
 
[1] Carvalho, Fernando J. Cardim de
Economia Monetária e Financeira
Capítulo 4

[2] Keynes, Jonh M.
Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda.
Capitulo 13

Frederico Matias Bacic

4 comentários:

  1. Muito bom, porém acredito que poderia haver mais exemplos de demanda especulativa.

    ResponderExcluir
  2. no motivo de precaução, diferente do motivo de transação (esse que a liquidez serve para pagar as trocas em um determinado periodo de tempo) pode não ter uso no periodo recebido de renda. Podemos interpretar entao, que parte da renda como meio de precaucao faz parte da poupança? Acho que to viajando, pq estes sao os pressupostos para a preferencia da liquidez. confere?

    ResponderExcluir