quarta-feira, 16 de março de 2011

Os Instintos e o Comunismo

Analisando a história humana notaremos que o ser humano vive em sociedade a pouco mais de seis mil anos, talvez para muitos, isso possa parecer muito tempo, mas comparando com toda a história da vida humana podemos concluir que esse período é muito pequeno. Acredito que em apenas seis mil anos o homem não teve tempo de se desfazer de seus instintos animais, para assim conseguir viver em uma sociedade justa. Refiro-me a instintos como: O ócio, a vontade de liderar um grupo, de se sobre-sair na comunidade custe o que custar, nem que tenha que passar por cima de tudo e todos. A partir desse pressuposto farei uma pequena análise do fracasso no sistema comunista na história do homem, pois em minha opinião este sistema não suporta tais tipos de instintos.

Muitos defensores do sistema comunista rotulam o capitalismo como algo injusto e desigual, colocando-o muitas vezes como sinônimo de ganância. O capitalismo não deve ser reduzido apenas à ganância, pois esta sempre existiu independente da situação política ou da época. A ganância está intrínseca no individuo e não em um sistema econômico. No próprio comunismo a ganância existiu, os próprios agentes da revolução na União Soviética jantavam com talheres de ouro, viviam em uma situação cômoda, enquanto a maioria do povo passava miséria. No fundo esses agentes da revolução utilizaram-se de um bonito discurso que prega a igualdade social e o fim da exploração, que é o comunista, para se favorecer. Usando-o em beneficio próprio, a fim de levar uma vida mais cômoda. Cômoda igual a dos capitalistas que eles tanto criticavam.


Outro erro dos antigos sistemas comunistas foi o descaso pela vida. O ideal comunista prega somente a morte se esta for por obrigação moral, a contragosto. Seguindo a lógica de qualquer ser humano normal alguém que mata a contragosto tenta reduzir ao mínimo o número de vitimas, mas isso contrasta com o fato de que os comunistas lideram inquestionavelmente o morticínio universal. Uma pessoa que simpatiza com o nazismo é julgada cúmplice moral do holocausto, pois defende as barbáries realizadas pelo exército alemão. Se você concorda com essa alegação também a de concordar que alguém que simpatiza com os sistemas comunistas, que existiram em nossa história, é cúmplice moral da matança de mais de cem milhões de pessoas. Se esses sistemas comunistas tivessem sido tão bons por que seis milhões de pessoas teriam fugido de Cuba? Por que dois milhões de vietnamitas fugiram da generosidade vietcongue em pequenos barcos e jangadas? Por que milhares de alemães teriam arriscado a vida para fugir da Alemanha Oriental?

Economicamente, um dos maiores problemas do comunismo era a falta de oferta. Na União Soviética esse problema era visível, grande parte dessa insuficiência da oferta deve-se ao sistema de metas. O governo fixava uma meta de produção, essa meta não era traçada em quantidade, mais sim em medidas como: Jardas, Libras etc.. Por exemplo, os lustres fabricados na União Soviética tinham de atingir uma meta de produção de um peso de X libras por mês. Ao invés de produzirem muitos lustres leves, os camaradas produziam poucos lustres extremamente pesados, para atingir a meta rapidamente e assim ficar com o maior tempo ocioso possível. Resultado, além de faltar produtos no mercado, os tetos das casas não suportavam o peso dos lustres. Alguém que produz com o intuito de ganhar tempo ocioso e não se importa com as conseqüências disso na sociedade, não é digno de viver em um país comunista, pois não possui um pensamento coletivo, apenas individual e isso prejudica o sistema como um todo.

O sistema capitalista surgiu de uma maneira natural ao longo da historia humana, ele surgiu com a evolução humana e por isso reflete aquilo que o homem é. Talvez não tenha se dado de uma forma totalmente natural, talvez tenha sido imposto em nossas vidas, mas se foi, foi feito de uma maneira muito sutil, gradual. Diferente do sistema comunista, que existiu na história, que foi imposto através de revoluções armadas, golpes etc. Acredito que tudo deve acontecer de uma maneira natural, nada deve ser imposto. As coisas têm de acontecer de acordo com as necessidades das pessoas, na medida em que elas vejam que é algo necessário. Penso que talvez esse sistema, ou algum outro diferente do capitalista possa vir a se concretizar um dia, mas sem a necessidade de pegar em armas e fazendo uma revolução. Mas que para isso se concretize o homem terá de perder seus instintos animais, atingir um maior grau espiritual, e material elevado e possuir um sentimento coletivo verdadeiro, pois foi a falta dessas características nas pessoas, na minha opnião, que levou o comunismo ao fracasso.

Frederico Matias Bacic

Nenhum comentário:

Postar um comentário